Marcadores

Pesquisar na internet

sábado, 9 de junho de 2018

Doze nomes aparecem como possíveis candidatos para o Palácio do Buriti

No entanto, número deve diminuir por conta das alianças que poderão ser firmadas até as convenções partidárias, a partir do início de julho


Imagem: tse.jus

Na disputa por votos


Até julho, quando começam as convenções partidárias, parte dos pré-candidatos ao Buriti deve desistir do projeto. Confira a condição de cada um:

Alexandre Guerra (Novo)
Situação: primeiro pré-candidato ao Executivo local, o herdeiro da rede Giraffas deve manter o projeto até o fim. A tendência é que concorra numa chapa puro sangue

Alírio Neto (PTB)
Situação: com o apoio da Executiva Nacional e a garantia de cofres cheios para a campanha, negocia a cabeça de chapa na frente de centro-direita formada, ainda, por PSD, PSDB, PPS e PRB

Chico Leite (Rede)
Situação: apesar de lançado pré-candidato ao GDF, deve concorrer ao Senado. Resta saber se será em uma chapa puro sangue da Rede ou no grupo de Rollemberg, em caso de aliança entre as siglas

Eliana Pedrosa (Pros)
Situação: para migrar do Podemos para o Pros, recebeu da Executiva Nacional a garantia de apoio da sigla à pré-candidatura ao Buriti. A chapa contará com nomes da família Roriz

Fátima de Sousa (PSol)
Situação: está com a pré-candidatura e a chapa puro sangue consolidadas. A vice será a assistente social e conselheira tutelar Clementina Bagno (PSol) e os postulantes ao Senado, Marivaldo Pereira e Chico Sant’Anna

Izalci Lucas (PSDB)
Situação: articula a cabeça de chapa na coalizão integrada por PTB, PSD, PRB, DC e PPS. A candidatura garantiria palanque eleitoral para o presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB-SP)

Joe Valle (PDT)
Situação: lançado pré-candidato ao Buriti, busca espaço para concorrer ao Senado na chapa encabeçada por Jofran Frejat. A aliança será discutida na quarta-feira com o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi

Jofran Frejat (PR)
Situação: integrante do partido do ex-governador José Roberto Arruda, está com a chapa pré-moldada e pré-candidatura, consolidada. Ao lado dele, estão partidos como MDB, PP, DEM e Avante

Marli Rodrigues (PSC)
Situação: presidente do SindSaúde e oponente à gestão de Rollemberg, deve abrir mão da pré-candidatura ao GDF para concorrer a distrital, segundo interlocutores

Paulo Chagas (PRP)
Situação: general da reserva e estreante na política, detém o apoio do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL-RJ). Pretende surfar nos discursos sobre segurança pública

Rodrigo Rollemberg (PSB)
Situação: com o discurso de ajuste das contas públicas e combate à corrupção, concorrerá à reeleição. A formação da chapa, contudo, ainda é uma incógnita

Wanderley Tavares (PRB)
Situação: presidente regional do partido e ligado à Igreja Universal do Reino de Deus, deve abrir mão da pré-candidatura para dar espaço na chapa a Ronaldinho Gaúcho, que concorrerá ao Senado

Fonte: Correio

Nenhum comentário:

Postar um comentário